• flag-br
  • flag-esp
  • flag-us
Cases de Sucesso

Entenda a definição de efeito Corona e como age em isoladores

PUBLICADO EM 17/02/2016 Entenda a definição de efeito Corona e como age em isoladores

Efeito Corona

Comum em superfícies condutoras das linhas de transmissão de energia elétrica, o efeito Corona é resultado do contato de um campo elétrico intenso e elevado com partículas de ar, umidade ou poeira. O resultado é a emissão de luz sempre que as partículas são ionizadas. A Corona pode ser positiva ou negativa, dependendo da polaridade do potencial elétrico. Este efeito pode ser aproveitado pelas indústrias e comércios para remoção de cargas elétricas indesejáveis em superfícies de aeronaves, fabricação de ozônio, limpeza de partículas de ar em aparelhos de ar-condicionado, no tratamento de superfície de filmes poliméricos e durante fabricação de microfones de escuta.

Quais as consequências do efeito Corona?

O efeito Corona pode causar grandes transtornos, especialmente em caso de quedas na capacidade energética, podendo resultar na perda de centenas de quilowatts por quilômetro de condutor elétrico. Isso acontece principalmente em linhas de transmissão expostas a chuvas e garoas. Em geradores de energia, transformadores, motores elétricos, capacitores e outros aparelhos elétricos do tipo, o efeito Corona danifica progressivamente o isolamento interno e pode resultar em danos mais graves, capazes de ocasionar falhas prematuras de todos os equipamentos. Curiosidade: o efeito Corona também é conhecido como Fogo de Santelmo. Isso porque o “Santo Elmo” é o padroeiro dos marinheiros, que costumavam observar os mastros dos navios envolvidos por uma camada de luz. Muito tempo depois, descobriu-se que as nuvens ionizadas induziam cargas elétricas nos mastros sempre antes de tempestades, principalmente em regiões tropicais.




VOLTAR