• flag-br
  • flag-esp
  • flag-us

Mercado prevê crescimento de 10% para o setor da Construção Civil

PUBLICADO EM 20/04/2018 Mercado prevê crescimento de 10% para o setor da Construção Civil

Construção Civil

A Comissão da Indústria Imobiliária (CII) da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) anunciou a previsão de 10% de crescimento para o setor da construção civil em 2018.

Outra entidade que tem boas perspectivas para este mercado é o Sindicato da Habitação do Estado de São Paulo – Secovi-SP, que acredita em uma estabilidade no lançamento de novos empreendimentos imobiliários, mas aposta em uma alta de 5% a 10% nas vendas de imóveis. Segundo o sindicato, na capital paulista, as vendas de imóveis alcançaram 23.629 unidades em 2017, aumento de 46,1% em relação a 2016.

Ainda segundo o Secovi-SP, a venda de imóveis novos também cresceu. No acumulado dos últimos 12 meses, as negociações envolveram 25.349 unidades, aumento de 60,4% em comparação aos 12 meses anteriores.

Os bons resultados e as expectativas otimistas para o setor são atribuídos à recuperação econômica do País, motivada, principalmente, pela redução contínua da taxa de juros e à melhoria no nível de empregos. Com isso, desde o início do ano, já é possível conferir o lançamento de novos empreendimentos residenciais e comerciais, além de canteiros de obras surgindo em diversas cidades brasileiras.

A movimentação na construção civil, certamente, impacta em diversos ramos de atividade. É comum uma única obra reunir milhares de trabalhadores direta e indiretamente. Com isso os canteiros se tranformam em verdadeiras cidades e demandam uma série de insumos. E a energia é um deles.

Como durante um obra não há fornecimento de energia pela concessionária, o uso de geradores é imprescindível. São os geradores que garantem o funcionamento de todo o maquinário pesado, utilizado já a partir das fundações de um novo projeto.

E, quanto maior a obra e sua complexidade, mais se faz necessário a contratação de geradores. Nesse ponto, tanto para as construtoras quanto incorporadoras, é inviável fazer a aquisição deste tipo de equipamento, uma vez que os custos são altos e elevariam os investimentos na obra significativamente.

Com isso, a opção pela locação, assim como todo suporte oferecido pela contratada, é o caminho mais buscado. Empresas como a Tecnogera, especializada em soluções em energia temporária, se tornam as parceiras ideais.

Como player especializado, a empresa avalia a melhor opção de gerador para a demanda e, ainda, oferece o atendimento de uma equipe altamente especializada para manutenções preventivas, reparos e até substituição em caso de necessidade de qualquer outro tipo de equipamento.

Com mais de 10 anos de atuação no mercado, a Tecnogera já atendeu projetos da construção civil dos mais diferentes portes e em várias regiões do País.




VOLTAR